VACINÔMETRO

0

Vacinados contra Covid-19 com 1ª Dose

0

Vacinados contra Covid-19 com 2ª Dose

0

Vacinados contra Covid-19 com Dose Única

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA

Vacinação por Idade: documento de identidade com foto e CPF e comprovante de residência

Grávidas e puérperas: documento de identidade com foto e CPF, comprovante de residência e carteira de gestante ou certidão de nascimento da criança.

Caminhoneiros: comprovante de residência em Canoas e Carteira Nacional de Habilitação (CNH) – categoria C e D, acompanhada de nota fiscal da carga ou conhecimento de transporte em nome do motorista; ou Carteira Nacional de habilitação – categoria E.

Pessoas com comorbidades: documento de identidade com foto e CPF, comprovante de residência em Canoas e atestado médico que confirme doença pré-existente. Acesse a lista de doenças crônicas definidas pelo Ministério da Saúde aqui.

Pessoas com deficiência permanente: documento de identidade com foto e CPF, comprovante de residência em Canoas e documento que comprove a condição, como laudo médico, cartão de gratuidade no transporte público, cartão de estacionamento para PcD ou declarações de atendimento em centros de reabilitação ou unidades especializadas.

Cuidadores responsáveis por crianças ou por adolescentes com deficiência permanente: documento de identidade com foto e CPF, comprovante de residência, comprovação da condição da criança ou adolescente (laudo médico, cartão de gratuidade no transporte público, cartão de estacionamento para PcD ou declarações de atendimento em centros de reabilitação ou unidades especializadas) e documento que demonstre o vínculo, como certidão de nascimento ou documento que comprove a tutela legal. Será vacinado um cuidador por criança ou adolescente.

Pacientes que já fazem acompanhamento na rede básica municipal podem utilizar o cadastro já existente, basta procurar sua UBS de referência para obter uma declaração.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Saúde / Vacina
/ /

Covid-19: 2ª dose da AstraZeneca para a população vacinada até 30 de maio será na próxima sexta-feira (6)

LER MAIS
Saúde / Vacina
/ /

Canoas amplia vacinação contra a Covid-19 nesta quarta-feira para pessoas com 31 anos ou mais; na quinta, será a vez dos 30 anos

LER MAIS
Saúde
/ /

Fundação de Saúde reabre concurso exclusivamente para doadores de medula óssea e inscritos no CadÚnico

LER MAIS
Saúde
/ /

Órteses produzidas no HU ajudam na recuperação de pacientes

LER MAIS
Saúde
/ /

Covid-19: mais de 115,6 mil testes já foram realizados em 2021

LER MAIS
Saúde / Vacina
/ /

Vacinação contra a gripe segue nas UBSs nesta terça-feira

LER MAIS

A VACINAÇÃO

A campanha de vacinação contra a Covid-19 em Canoas teve início em 19 de janeiro de 2021. As ações seguem na íntegra os planos de imunização dos governos federal e estadual. Os primeiros grupos prioritários abrangem idosos que vivem em instituições de longa permanência (ILPIs), pessoas com deficiência institucionalizadas, profissionais de saúde e a população acamada com mais de 60 anos. Em 10 de fevereiro, o município iniciou a segunda etapa da campanha, com a inclusão de idosos. As definições sobre os grupos prioritários dependem de orientação do Ministério da Saúde, responsável pelo envio das doses, e do governo do Estado.

CONFIRA A LISTA DE COMORBIDADES PARA VACINAÇÃO
CLIQUE AQUI E CONSULTE A LISTA DE COMORBIDADES

VACINADOS ATÉ 02 DE AGOSTO DE 2021 – 1ª Dose

Segmento Número de vacinados
Profissionais da Saúde / Acadêmicos 13.730
Quilombolas 97
Forças de Segurança + Forças Armadas 4.002
Pacientes com Síndrome de Down 107
Gestantes/Puérperas 1.242
Usuários com comorbidades 18 anos+ 22.623
Trabalhadores da Educação 6.696
Idosos 53.276
População em situação de rua 82
Pessoas com deficiência 1.132
Cuidador de Crianças / Adolescentes com deficiência 201
Trabalhadores do SUAS + Conselho Tutelar 86
Trabalhadores Rodoviários + Metroviários + Aeroviários + Aquaviários + Portuários 1.015
Pessoas com 32 anos+ 71.311
População privada de Liberdade 2.216
Caminhoneiros 3.013
Trabalhadores da Indústria 1.249
Trabalhadores da Limpeza Urbana 363
Adolescentes com comorbidades 826
TOTAL DE VACINADOS: 183.267

 

VACINADOS ATÉ 02 DE AGOSTO DE 2021 – 2ª Dose

Segmento

Número de vacinados

Profissionais da Saúde

9.919

Idosos institucionalizados

812

Pessoas com Deficiência Institucionalizadas

264

Quilombolas

82

Forças de Segurança

939

Idosos 

52.042

Trabalhahdores da Educação

1.472

Comorbidades

5.900

Puérperas / Gestantes

53

Industriários

40

Caminhoneiros

4

Total de Vacinados 71.527

 

VACINADOS ATÉ 02 DE AGOSTO DE 2021 – Dose Única

Segmento

Número de vacinados

Trabalhadores da Indústria

5.852

População em situação de rua

18

40 anos+

3.104

Trabalhadores da Saúde

28

Aeroviário

1

Trabalhadores da Educação

4

Idosos

56

Puérperas

1

Usuários com Comorbidades 18+

68

Pessoas com deficiência

9

Trabalhadores da Limpeza Urbana

36

Forças de Segurança

3

Trabalhadores do Transporte

30

Total de Vacinados 9.210

 

VACINAS APLICADAS

CoronaVac

Desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica Sinovac. Foi criada por meio de uma tecnologia já muito utilizada em outros imunizantes. É composta por vírus inativado (morto), assim como as vacinas da gripe, poliomielite, hepatite e da meningite. Ao ser injetado no organismo, esse imunizante não é capaz de causar doença, mas induz uma resposta imunológica que prepara o corpo para combater o vírus. Intervalo entre as doses: 28 dias.

AstraZeneca

Foi desenvolvida pela farmacêutica AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford. No Brasil, é produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Utiliza uma tecnologia biomolecular baseada no chamado “vetor viral”, que consiste na utilização de um vírus modificado para estimular o sistema imunológico na produção de anticorpos contra o coronavírus. Intervalo entre as doses: 12 semanas.

Pfizer

O imunizante da farmacêutica Pfizer em parceria com o laboratório BioNTech se baseia na tecnologia de RNA mensageiro, ou mRNA, que ajuda o organismo a gerar a imunidade contra o coronavírus. Para a aplicação, há necessidade de diluir o conteúdo do frasco em uma solução de cloreto de sódio. Intervalo entre as doses: 12 semanas.

Janssen

Do grupo Johnson & Johnson, a vacina do laboratório Janssen, assim como o imunizante da Astrazeneca, também utiliza a tecnologia de vetor viral, que ajuda o organismo a gerar a imunidade contra o coronavírus. É aplicada em dose única.

TIRE AS SUAS DÚVIDAS

Quando abrem uma ampola de vacina e sobram doses, o que fazem?

Em relação às doses que sobram nos frascos, existe uma organização do Setor de Imunização da Secretaria Municipal da Saúde, desde o início da campanha de vacinação, para direcionar as vacinas às pessoas dos grupos prioritários, como idosos, profissionais de saúde e acamados. O horário da vacinação contra a Covid-19 nas UBSs, das 8h às 12h, permite justamente que se faça esse remanejamento e que a vacina chegue aos grupos prioritários. 

É necessário tomar a segunda dose?

Para a resposta imune esperada para a prevenção da Covid-19, o esquema vacinal completo prevê duas doses. No caso da CoronaVac, a segunda aplicação deve ocorrer 28 dias após a primeira. Já para a Oxford/AstraZeneca, o intervalo indicado é de 12 semanas. 

Depois de vacinado, posso deixar de usar máscara?

As pessoas vacinadas devem manter as medidas de proteção até que a maior parte da população esteja imunizada, o que ainda deve demorar algum tempo. Por isso, o uso de máscara, a higienização correta das mãos e o distanciamento social continuarão sendo os métodos eficazes para proteger a si e as outras pessoas.

Clique aqui para acessar os dados em tempo real do coronavírus em Canoas

POR QUE VACINAR

A vacina é essencial para que o nosso organismo seja estimulado a produzir anticorpos (defesas) contra a Covid-19. Se tivermos contato com o coronavírus, nossos anticorpos (defesa do organismo) já conhecerão seu DNA e irão agir contra ele. Com isso, a doença não se estabelece de forma grave, os sintomas são muito mais leves e as chances de internação e óbito caem consideravelmente.

É importante lembrar que quem não se vacina está colocando não apenas a própria saúde em risco, mas também a de seus familiares e de todas as pessoas com quem tiver contato. A vacinação, além de nos proteger, permite interromper a transmissão e conter a disseminação da doença.