Notícias

//
https://www.canoas.rs.gov.br/wp-content/uploads/2022/08/WhatsApp-Image-2022-08-05-at-12.24.19-2.jpeg

Estudo Sunrise – Canoas participa de pesquisa mundial sobre a obesidade infantil

Download Imagem Original

Foto: Gustavo Garbino

Canoas começa a participar de um estudo mundial que mapeia fatores que levam crianças da Educação Infantil ao sobrepeso e obesidade. Intitulado Sunrise, o projeto selecionou 320 crianças de zonas urbanas e rurais do estado gaúcho, que serão avaliadas, simultaneamente, durante 3 anos, em 4 períodos – agosto de 2022, março e novembro de 2023 e março de 2024.

O pontapé em Canoas foi dado nesta quinta-feira (04) quando equipes das secretarias municipais de Educação e do Esporte e Lazer, junto com pesquisadores da UFRGS e do projeto Sunrise, visitaram a EMEI Vó Babali. A instituição foi escolhida para ser o piloto do projeto por ficar na área central e receber crianças de toda a cidade. Em Canoas, o estudo está contemplando crianças de 3 e 4 anos.

Um dos coordenadores da pesquisa em nível mundial, o professor da Universidade de Wollongong, Anthony Okely, presente na visita a Vó Babali, falou sobre as razões pela escolha de Canoas. “Como um estudo global, era muito importante termos representantes do Brasil e de todas as suas regiões. Quando precisamos escolher quem seria analisado no Sul, recebemos boas recomendações do município de Canoas”, ressaltou.

“Hoje nós vamos fazer uma avaliação inicial dessas crianças, dos níveis de atividade física e coordenação motora. Isso vai nos permitir descobrir o quão ativas elas são, entender a relação desses níveis de atividade física com as condições de desenvolvimento dessas crianças e como podemos promover melhores índices de atividades físicas e comportamentos saudáveis”, completou o professor australiano.

A secretária adjunta da Educação, Cinara Souza, lembra que as escolas da rede municipal seguem o cardápio que atende o plano nacional de alimentação escolar, que prevê a redução de açúcar e de embutidos nas refeições das escolas, previsto em lei. Ela ressalta a importância da pesquisa e de seus resultados, reforçando que o estudo deve ser estendido para outras escolas. “Esse projeto piloto, com o envolvimento de todas as instituições, vai levantar dados, caminhos e pontos importantes de hábitos mais saudáveis na cidade”.

O secretário adjunto da Secretaria do Esporte e Lazer, Jerson Cunha, fala sobre a importância da parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul, no desenvolvimento da pesquisa articulada com o projeto Sunrise. “É bem claro a importância da aplicação de tecnologias e da própria atividade física no controle e monitoramento das questões de obesidade e sobrepeso das crianças. O projeto tem uma abrangência muito grande e pode trazer benefícios diretos para a rede pública escolar”.

Uma das pesquisadoras do projeto no Brasil, a doutoranda Letícia de Borba Schneiders, comentou sobre os objetivos da pesquisa. “O foco é identificar possíveis riscos de saúde nestas crianças e, por isso, nós buscamos analisar o comportamento delas. Todas as técnicas usadas são totalmente seguras, seguindo todos os protocolos éticos, para que as crianças se sintam confortáveis e se divirtam durante a pesquisa”, explicou.

A diretora da EMEI, Geise Ortiz, destacou a felicidade em ter a escola escolhida para receber o estudo na cidade. “Esse projeto vem de encontro a várias práticas e preocupações que nós já vínhamos trabalhando aqui na escola. Focamos em incentivar uma alimentação mais saudável e atividades para o corpo se movimentar. E nesse contexto, nada melhor do que participar de uma pesquisa em nível mundial de um tema tão relevante”, ressaltou.

Sunrise – o que é e como funciona
O projeto é uma pesquisa internacional, realizada em 15 países, que busca avaliar crianças de 2 a 5 anos, monitorando os movimentos, hábitos alimentares, habilidades motoras, tempo de sono, função executiva, nível socioeconômico, ambiente construído, nível de atividade física, e status de peso dos pais. 

Esse monitoramento de 24 horas é realizado através de equipamentos e aparelhos específicos, utilizados especialmente para a pesquisa. Os métodos buscam avaliar o nível de atividades físicas, coordenação motora, capacidade física e mental. Juntamente com o equipamento, deverá ser reportada toda a rotina, em formato de diário de reloginho, a fim de auxiliar na interpretação dos dados.

A responsável pelo projeto em toda a região Sul do Brasil é a professora Anelise Gaya.

Alunos em EMEIs
Canoas conta com, aproximadamente, 5.635 alunos matriculados em 39 escolas municipais de Educação Infantil, sendo 2.011 crianças na creche e 3.624 crianças na pré-escola.

Escritório de Comunicação PMC

Mais fotos: