Notícias

//
https://www.canoas.rs.gov.br/wp-content/uploads/2018/08/Vinicius-Thormann-1-2.jpg

Em reunião no Ministério Público, mantenedora do Graças promete deixar a gestão do hospital

Segunda reunião no Ministério Público teve a presença de diretores do hospital
Download Imagem Original

Foto: Vinicius Thormann

Foi realizada na tarde desta quarta-feira (31), uma agenda solicitada pelo prefeito de Canoas, Luiz Carlos Busato e pelo Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers) no Ministério Público Estadual para tratar da grave crise existente no Hospital Nossa Senhora das Graças (HNSG). Os promotores Rafael Russomanno Gonçalves e Sônia Madalena Silveira Bonilla ouviram durante três horas representantes do Simers, da Prefeitura, da Comissão de Saúde da Câmara de Vereadores, da direção da mantenedora do hospital, da Associação Beneficente Canoas (ABC) e representantes dos médicos. O HNSG está, há décadas, em crise financeira e administrativa que ocasiona prejuízos no atendimento à população e também no atraso do pagamento nos contratos de Pessoas Jurídicas que prestam serviços no local.

Nesta reunião, a ABC admitiu diante dos promotores os graves problemas de gestão na própria administração do hospital. Situação que já havia sido alertada pela Prefeitura de Canoas inúmeras vezes à gestora do hospital e a população, desde o início do ano passado. Diante dos promotores foram admitidas existência de contratos mal feitos, falta de controle na gestão de recursos, profissionais que recebem sem trabalhar e uma série de falhas que contribuíram, ao longo do tempo, para caos que se encontra o HNSG.

A Prefeitura e o Simers têm buscado constantes alternativas para salvar o HNSG da falência, mesmo com a falta de ação da ABC. Esgotadas as tentativas de consenso, Simers e Prefeitura buscaram, então, o Ministério Público. Na reunião, a Associação Beneficente Canoas se comprometeu em deixar a administração do hospital, o quanto antes, e apresentar uma nova instituição para realizar este trabalho. A intenção é que a nova administradora reorganize as finanças e mude o sistema de gestão, dando uma solução definitiva aos problemas que se arrastam há anos.

Diante da iminência de paralisação dos profissionais, que estão com os salários atrasados, a Prefeitura de Canoas tomou uma decisão firme. Irá adiantar R$1,2 milhão para que a ABC possa quitar um mês de salário atrasado dos médicos. Essa ação, realizada obedecendo às determinações da lei, tem como objetivo evitar uma greve, que causaria transtornos à população e dar tempo para a mantenedora do hospital avançar as negociações para troca de gestão.

No dia 26 de novembro, um novo encontro entre Prefeitura de Canoas, Ministério Público, ABC e Simers vai ocorrer. O intuito é dar prosseguimento a um plano de salvação do hospital, através da mudança radical da gestão com base na legislação.

Assessoria de Comunicação